VIDA DE SANTO ANTÔNIO

Santo Antônio nasceu em Portugal, em 1.195. O apelido pelo qual o mundo o conhece veio da cidade Italiana de Pádua, onde morreu, aos 35 anos, e se veneram suas relíquias. Leão XIII o chamou "o santo de todo o mundo", porque sua imagem e devoção se encontram por todas partes. Também era chamado "Doutor Evangelho".

 

Escreveu sermões para todas as festas do ano. "O grande perigo do cristão é pregar e não praticar, crer, mas não viver de acordo com o que se crê". Santo Antônio "era poderoso em obras e em palavras. Seu corpo habitava esta terra mas sua alma vivia no céu " - um biógrafo desse tempo. 

Patrono de mulheres estéreis, pobres, viajantes, pandeiros e papeleiros, era invocado pelos objetos perdidos e para pedir um bom esposo/a. É verdadeiramente extraordinária sua intercessão. Seu nome completo é Fernando de Bulhões e Taveira de Azevedo, nome que mudou pelo de Antonio ao ingressar na ordem de Frades Menores, pela devoção ao grande patriarca dos monges e patronos titulares da capela em que recebeu o hábito franciscano.

O INÍCIO

Seus pais, jovens membros da nobreza de Portugal, deixaram que os clérigos da Catedral de Lisboa se encarregassem de imprimir os primeiros conhecimentos ao menino, que, ao atingir 15 anos, foi posto aos cuidados dos cônegos regulares de São Augustin, que tinham sua casa perto da cidade. Dois anos depois, obteve permissão para ser trasladado ao priorado de Coimbra, então capital de Portugal.

Desde menino havia consagrado a Santíssima Virgem e a ela encomendava sua pureza. Uma vez em Coimbra, se dedicou à oração e ao estudo; graças a sua extraordinária memória, chegou a adquirir, em pouco tempo, os mais amplos conhecimentos sobre a Bíblia. No ano de 1220, o rei Dom Pedro de Portugal regressou de uma expedição a Marrocos e trouxe consigo as relíquias dos santos frades franciscanos que, pouco tempo antes haviam obtido lá um glorioso martírio. Fernando que havia passado oito anos em Coimbra, se sentiu profundamente comovido a vista daquelas relíquias e nasceu no íntimo de seu coração o desejo de dar a vida por Cristo.

Pouco depois, alguns frades franciscanos chegaram a hospedar-se no convento da Santa Cruz, onde estava Fernando; este lhes abriu seu coração e foi tão grande sua insistência que no início de 1221 lhe admitiram na Ordem. Quase imediatamente depois lhe autorizaram embarcar em Marrocos para pregar o Evangelho aos mouros. Mas ao chegar nas terras onde pensava conquistar a glória foi atacado por uma grave enfermidade, ficando prostrado e incapacitado durante vários meses; voltou para a Europa. O navio em que embarcou foi empurrado por fortes ventos, desviou-se e foi a parar em Messina, a capital de Sicília.

MORTE

No 13 de junho de 1231, na habitação particular do capelão das Clarissas Pobres de Arcela recebeu os últimos sacramentos. Entoou um canto a Santíssima Virgem e sorrindo disse: "Vou ver a nosso Senhor " e morreu. Era o dia 13 de junho de 1231. As pessoas percorriam as ruas dizendo: " morreu um santo! Morreu um santo!. 

 

Durante seus funerais se produziram extraordinárias demonstrações de veneração que lhe tinham. Os paduanos tem considerado sempre suas relíquias como o tesouro mais precioso. Santo Antônio foi canonizado antes que houvesse transcorrido um ano de sua morte; nessa ocasião, o Papa Gregório IX pronunciou a antífona "O doutor ótimo" em sua honra e, desta maneira, se antecipou em sete séculos a data do ano 1946, quando o Papa Pío XII declarou a Santo Antônio "Doutor da Igreja ". 

Horários de Missa

Segunda-feira, às 7 horas

Terça a sexta-feira, às 7 horas e às 19 horas

Sábado, às 7 horas e às 18 horas

Domingo, às 7 horas 9 horas e 18 horas

DIA 13 - TREZENA DE SANTO ANTÔNIO

Missa às 15h e às 19h (Se dia de semana)

Missa às 15h e às 18h (Sábado)

Missa às 7h, 9h e 18h (Domingo)

PARÓQUIA SANTO ANTÔNIO | ARQUIDIOCESE DE BELO HORIZONTE